sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Mih Lig não entende de atendimento ao cliente





Raciocinem comigo:

Se um estabelecimento oferece um serviço e há uma falha na execução desse serviço, uma falha humana, compreensível, mas enfim, uma falha. Se esse serviço é de alimentação, e se essa falha é um engano no momento de anotar um pedido de entrega em domicílio, é compreensível, enganos acontecem, mas é uma falha bem chata. Junte fome com frustração e vocês terão uma idéia.

Daí se uma falha como essa ocorre, o que o estabelecimento deve fazer? Ai, essa é fácil gente, todo mundo sabe:

Pedir educadamente desculpas pelo transtorno, enviar o pedido correto e, caso queira melhorar a imagem arranhada, oferecer uma cortesia, um agrado que seja ao consumidor.

Correto? Correto.


Só que o gerente do Mih Lig não sabia disso.


Meu irmão (@Mikhaell ), que só come hots (sim, tem gente que só come hots), perguntou a mim que sushi aqui pelas redondezas era perto e barato. Indiquei o Mih Lig, que eu já tinha ido diversas vezes, que nunca achei o melhor sushi da cidade (está longe disso), mas que nunca tinha me dado problemas. Ele foi lá e gostou.

Hoje ele foi pedir uma entrega a domicílio e a moça errou ao anotar o pedido e trouxe algo bem diferente do que ele havia pedido. O motoqueiro em vez de trocar o pedido foi em-bo-ra.

E ao ligar pro Mih Lig, depois de ficar um bom tempo com uma atendente que ia perguntar algo ao gerente e chegava com uma meia explicação, enfim o gerente me atendeu. O que ele disse?

- Troco o pedido, mas você terá de pagar uma taxa extra.

Hahahaha. Eles cometem um engano e eu, cliente, pago uma taxa extra. Hahahaha. Adorei a piada. Deixa eu rir mais um pouquinho, hahahaha.

A explicação do gerente: o serviço de entrega era terceirizado e ele precisava pagar o motoqueiro de novo. Minha cara:
- Vocês cometem um engano e eu pago uma taxa extra? Se o engano é de vocês, além de não pagar pelo reenvio do pedido correto eu ainda merecia uma cortezia pelo transtorno, não?
Gerente que parece não ter tido um curso de curta duração sequer sobre marketing, atendimento ao cliente, ou coisa que o valha:
- Err, hum, gasp.
Depois de uma longa negociação (sério, ele tava certo que eu tinha que pagar o motoqueiro) ele aceitou mandar o pedido correto, e frisou que pagaria o motoqueiro para mim. Querido, já paguei o motoqueiro uma vez, se vocês erraram não sou eu que vou pagar a segunda, beijos.

Conclusão? Quer montar um restaurante, fio? Te prepara, ok? Obrigada.


Beijocas.

2 pitacos:

Gui disse...

Eu tinha arrebentado a moto dele...

Fabianny disse...

Rapaz, minha família tava p. da vida querendo arrebentar a moto dele e tudo, mas eu fui na elegância e consegui o pedido sem a taxa. Mas né, do jeito que foi pareceu até favor. ¬¬

Postar um comentário